Os desgaseificadores RH (Ruhrstahl Heraeus) foram desenvolvidos para atender aos elevados requisitos de capacidade de desgaseificação a vácuo das unidades siderúrgicas integradas. Com dimensões de cadinhos de 150-350 toneladas, o desgaseificador de tanque precisaria ter um volume enorme, o que diminuiria a produtividade de uma unidade. Comparado a isso, o projeto de RH permite tratamentos a vácuo frequentes em sequências rápidas.
Além disso, a desgaseificação e a descarbonetação são mais eficazes do que os desgaseificadores de tanque (VD/VOD), graças a um uso mais intensivo de argônio e um reservatório de reação com uma borda livre muito maior.
Em um sistema de RH, a extremidade inferior do reservatório a vácuo possui dois tubos de respiração, os quais são imersos na concha, levando ao banho de aço. Por evacuação do reservatório, o aço é elevado para a câmara de tratamento.

A filtragem de poeira é necessária para reter uma parte da grande quantidade de poeira criada durante o processo.  Como as partículas de poeira geralmente são pirofóricas, deve-se projetar o sistema de filtragem adequadamente. Portanto, um bom design de filtro geralmente usa etapas de "limpeza contra-fluxo de gás inerte" para limpar a superfície do filtro.

Durante o longo período de operação de sopro de oxigênio sob pressão brusca, os gases provenientes do desgaseificador do tanque também possuem elevada densidade, o que indica que armazenam bastante energia térmica. Para proteger o filtro de poeira do superaquecimento, durante a fase de sopro de oxigênio, deve-se ter instalado um arrefecedor de gás entre o filtro e o tanque.